A Dança do Ventre e o meu Eu desconhecido

Quem me conhece sabe o tanto que a dança é importante para mim, simplesmente pelo fato que é uma das melhores formas de manter um corpo e uma mente saudável. E’ uma arte na qual nossa alma se expressa através do nosso corpo. Acho que essa minha ligação com a dança acaba me cocectando com pessoas maravilhosas que trabalham com isso, dessa vez foi com Hellen Soares que hoje nos conta um pouquinho de sua experiência pessoal com a Dança do Ventre, assim como alguns conceitos e os beneficios que ela nos oferece.

danca ventre 2“Sim, há os indícios sobre a utilização do espaço, o equilíbrio, o contato com o corpo, as formas, aromas, tecidos, sonoridade, todos esses itens na dança oriental despertam variados estímulos mas seria interessante saber em que mecanismos agem e quais os reais benefícios psíquicos”. (Lucina Arruda 2014)

Muitos conhecem a origem da Dança Oriental, mas poucas conhecem ou conseguem perceber seu auxilio terapêutico, seus benefícios subjetivos. Pensei em colocar esse artigo em terceira pessoa, mas como estamos falando de algo, que nasce em nosso interior, ou melhor, floresce em cada alma feminina, decidi compartilhar minha experiência, como uma conversa entre amigas.

Conheci a dança do Ventre quando estava na Faculdade de Direito, ao chegar na academia de musculação, li um cartaz que convidava as mulheres para fazer uma aula experimental. Lendo aquele pequeno anúncio, lembrei do grande sucesso da novela o Clone (quem é brasileira vai entender), lembrei da Jade, da Salomé, e de que   meu corpo não tinha coordenação motora para tais feitos.

Mesmo com um turbilhão de pensamentos, resolvi me inscrever nas aulas. Não foi fácil, minhas colegas de turma conseguiam fazer os movimentos e eu não. Meu quadril era uma raiz encravada na terra, e quando algo se movimentava todo meu corpo ia junto.

Quando tudo parecia perdido comecei a praticar sozinha, não foi tão simples assim, era eu e o espelho, me olhar, observar meu corpo e me aceitar. Desenhar no ar, a leveza, a graciosidade, ir com o ritmo, me envolver e me entregar a mim mesma. Praticar na sala de casa, me ajudou a criar um elo, um companheirismo com outra Hellen (desconhecida) que sempre morou dentro de mim e por algum motivo ela estava sufocada.

danca ventre“A dança do ventre se compõe de movimentos naturais que trabalham junto ao corpo da mulher e não contra ele. Estes movimentos exercitam e ativam de forma mais suave corpo feminino e suas funções. Os movimentos rotativos e os movimentos de ondulação fazem trabalhar os músculos e as articulações em um amplo leque de formas e aos mesmo tempo massageia as zonas do corpo relacionadas, soltando e dissolvendo todas as tensões”.” (Roseley Marques 2014)

No Estado de São Paulo existe um Projeto no qual as pacientes com câncer, fazem aulas de Dança do Ventre e reaprendem o valor da vida   e o resgatam sua feminilidade. Também existem outros projetos como no Estado da Paraíba, onde mulheres portadora de deficiência faziam aulas e apresentações.

A dança do Ventre é uma magia, democrática, onde todas podem realizar belos movimentos, é interessante, o quanto cada oscilação de quadril é singular, ou seja, mesmo que dez bailarinas façam um oito maia, cada um estará fazendo de forma diversa. Pois a dança oriental, torna cada mulher única.

“E todo mundo pensa que a dança do ventre é só para quem é magra, para quem tem cabelo comprido, para quem é nova. E não é. A dança do ventre é para todas as mulheres. Só precisa ser mulher para fazer”. (Thatiane Menendez 2014)

Durante minha caminhada, vi muitas mulheres, utilizarem a dança do ventre para fins terapêuticos, para melhorar a autoestima, para melhorar o casamento, ou conseguir um namorado, cada uma com seu objetivo. O meu sempre foi aprender a dançar, pois nunca soube dançar nada. E posso dizer que depois de todos esses anos, conquistei muito mais, feminilidade, perseverança, segurança, realização emocional, em saber que meu corpo consegue montar figuras, consegue expressar sentimentos de amor, de paixão e de dor. E o mais importante quando danço o meu Eu desconhecido mostra toda sua vivacidade dentro de mim.

hellen DV

 

Sobre a autora: Hellen Soares, é advogada, bailarina e coreografa. Estudou e estuda Dança Oriental e Tribal Fusion no Brasil e na Europa, com apresentações solos e em grupo, em Festivais.

Você pode estar conferindo o trabalho da Hellen no seu canal do Youtube e se emocionar com a sua dança assim como eu.

 

YouTube Preview Image

 

 

Disponível também em :

Espero que tenham gostado!! Eu pessoalmente estou pensando em provar a Dança do Ventre também!!!

Com amor!

Sue

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *